Ocupou o cargo de secretário municipal de Comunicação dos prefeitos Fernando Collor de Mello, José Bandeira e Djalma Falcão
Capa
Publicidade
Publicidade
DESTAQUE
Postado em 03/08/2021
HOSPITAL ARTHUR RAMOS PODERÁ MUDAR DE DONO
Por José Elias
0
Postado em 03/08/2021
FORA DO PDT, INÁCIO LOIOLA NÃO SABE ONDE VAI FICAR
Por José Elias
0
Postado em 03/08/2021
BOIA VAI DAR ENTREVISTA SOBRE SAÍDA DE JUDSON
Por José Elias
0
Postado em 03/08/2021
GRUPOS DE RENAN E LIRA DISCUTEM SOBRE VOTO 2022
Por José Elias
0
Postado em 03/08/2021
LIDERANÇA DE JHC JUNTA AS FORÇAS POLÍTICAS DE AL
Por José Elias
0
Postado em 31/07/2021
SOLIDARIEDADE NA ALEGRIA, VOTO FOGE NA TRISTEZA
Por José Elias
0
Publicidade
OPINIÃO
Postado em 02/08/2021

DISCUSSÃO DO VOTO MAJORITÁRIO AINDA DEMORA UMA ETERNIDADE

Fernando Collor falou, dentro da experiência majoritária, que muita água vai correr por baixo da ponte.

   Resenha  em qualquer roda onde se discute 2022 é a lentidão das conversas sobre composições. Uns acham ser estratégia, outros preferem apostar na falta de segurança de alguns pleiteantes. Na verdade, os dois motivos e a ansiedade que garante um passaporte para Brasília e morada aconchegante no Palácio, que assegura quatro anos de endereço novo.
     Num papo amistoso com um grupo de amigos, na Barra de São Miguel, Fernando Collor deu o seu palpite. Quiseram saber sua opinião sobre a demora exagerada das articulações, ele pediu paciência e uma dose de caldo de galinha. “Pra organizar as chapas, até o fim do ano, será uma eternidade!” Quis dizer que muita água ainda correrá por baixo da ponte. 
      Falou com a autoridade de ter participado de três eleições majoritárias – governador, presidente da República e senador. Deixou a entender que o  momento é de reflexão e sustentou que seu nome à reeleição é uma decisão irreversível. Ele explicou que, em política, quem tem dúvida atrasa a viagem e perde o filme principal, tão aguardado pela multidão.     

 

Publicidade